Gostaríamos de informa-lo de que amanhã seremos mortos com nossas famílias

março 9, 2007 at 10:08 am Deixe um comentário

Philip Gourevitch é um repórter norte-americano que chegou a Ruanda em 1994, logo após o extermínio da minoria étnica tutsi, levado a cabo pela maioria hutu, com apoio do governo do país.

Gourevitch entrevistou diversos envolvidos, desde sobreviventes tutsis e familiares das vítimas, até proeminentes figuras hutus acusadas de terem tomado parte no genocídio.

É uma história real de terror e intolerância, de seres humanos que assassinaram vizinhos e até parentes, distinguindo os que mereciam viver dos que não mereciam pelos documentos de identidade. Hutus mereciam viver, os tutsis (e qualquer hutu que fosse contrário ao genocídio) não tinham esse direito.

Algumas cenas descritas por Gourevitch parecem impossíveis, e o grau da maldade e do absurdo do ocorrido em Ruanda faz a morte do menino João Hélio parecer brincadeira de crianças.

Recomendadíssimo. Em edição de bolso por vinte e poucos reais.

Entry filed under: Literatura. Tags: .

Do PCdoB Bush e o ódio brasileiro

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Feeds


%d blogueiros gostam disto: