Proibido Proibir

maio 8, 2007 at 11:10 am Deixe um comentário

proibido220.jpgProibido Proibir foi escrito e dirigido pelo chileno Jorge Durán. Tem no elenco Caio Blat, Maria Flor e Alexandre Rodrigues.

O filme tem o pior e o melhor do cinema brasileiro; no início predomina a fórmula “juventude maconheira falando merda”, que tem seu ápice na fala do estudante de medicina Paulo: “só existe salvação na maconha e na buceta”.

Eu juro que quando ouvi que só existe salvação na maconha e na buceta, quis sair do cinema. Eu não estava preparado pra uma hora e meia de “juventude falando merda”. Mas já que eu tinha gasto 27 reais (uma inteira e uma meia), ia ficar até o final. E de repente, o filme deu uma virada.

A virada se dá quando Rosalina entra na trama. Ela é uma paciente terminal de Paulo, que deseja ver seus filhos uma última vez antes de morrer. E então a juventude percebe que tem que parar de falar merda, amadurecer e virar gente grande. E o filme caminha com coesão e ritmo, rumo a um final em que apenas os conflitos internos se resolvem, deixando os problemas do mundo em aberto.

Mas eu faço uma ressalva: não leia as sinopses, nem mesmo a do sítio oficial; os putos entregam parte substancial da trama, inclusive os plots. Vá ao cinema, relaxe durante os primeiros 20 minutos, e saiba que daí pra frente o filme é nota 10.

Entry filed under: Cinema. Tags: .

Virada Cultural – Racionais MC’s e a polícia Passeando a trabalho – da companhia de viagem

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Feeds


%d blogueiros gostam disto: